Desapegar-se de bens-materiais, conhecer-se melhor, viver com pouco e evoluir-se espiritualmente são algumas das razões que levam as pessoas a quererem se tornar monges budistas. Mas, será que essa é uma transição fácil? Pensando nisso, escrevi este artigo contando algumas orientações sobre como se tornar um monge budista.

Entendendo o budismo

O budismo não é considerado uma religião, mas sim uma doutrina. Isso porque ele não se baseia em um Deus criador de todas as coisas ou em uma palavra de salvação. Ele está mais para um método de desenvolvimento espiritual, ou seja, é um conjunto de diretrizes para levar o ser humano ao seu autoconhecimento. É um caminho para compreender a natureza do sofrimento e para aprender a superá-lo.

A filosofia budista já é compartilhada há mais de dois mil anos. Aqueles que decidem dedicar-se inteiramente a ela são os chamados monges. Eles entregam-se a um processo de evolução espiritual que envolve, por exemplo, o estudo intenso de textos antigos. A meditação, o canto e abdicações são outros estágios que fazem parte da formação de um budista.

Em diferentes países podem existir diferentes tradições budistas. Para você ter uma noção, no Tibete, os votos dos monges são eternos. Já em monastérios da Tailândia, por exemplo, há uma flexibilidade maior. Ah, é importante dizer ainda que para iniciar a vida como um monge é preciso ter, geralmente, mais de sete anos de idade e menos de sessenta.

Como é a vida de um monge?

Muitas pessoas têm aquela imagem estereotipada de que ser monge significa apenas meditar e orientar outras pessoas sobre os caminhos da vida. Embora isso faça parte da vida de um monge, há muito mais para se saber antes de decidir ir para um monastério.

É preciso ter a consciência de que monges podem ter vidas bastante intensas, com muitas atividades a serem realizadas. Não é apenas reflexão, também há muita prática. Lembre-se de que os monges tem todo um monastério para organizar e limpar. Além disso, é preciso atender as pessoas que buscam uma palavra de conforto e planejar aulas e eventos. Achou que seria moleza? Ah, e não tem férias!

Antes de tomar a decisão de se tornar um monge, você também precisará se perguntar se conseguirá viver sem sexo. A intenção não é manter as pessoas longe dos prazeres da carne por ser um pecado ou algo assim. Na realidade, é uma maneira de mudar a percepção dos monges sobre o significado do prazer. Na tradição budista, o pensamento é a principal fonte de prazer.

Pergunte-se ainda se você seria capaz de se distanciar da rotina que você leva e se conseguiria conviver com outras pessoas que passarão a ser a sua família. E, por falar nisso, é importante visitar e analisar vários monastérios antes de mudar-se para um. Isso porque você pode se identificar mais com um do que outro. É possível que você se sinta mais ou menos acolhido em certos ambientes.

5 dicas para se tornar um monge budista

Para deixar mais claro, separei aqui cinco dicas que poderão te ajudar a se tornar um monge budista.

1 – Pesquise e aprenda o máximo possível sobre Budismo

Para se tornar um monge budista, a primeira coisa que você vai precisar fazer é conhecer a fundo a doutrina. Nessa etapa inicial, vale passar horas na biblioteca procurando livros sobre o tema, revirar a internet atrás de referências, fazer cursos e workshops sobre a filosofia de Buda e etc.

 

Será preciso ter muita disciplina e comprometimento com os estudos. Aliás, disciplina e comprometimento são características indispensáveis na vida de um monge. Ah, e claro, você vai precisar procurar um templo budista. Após encontrar aquele onde você mais se sente confortável, passe a frequentá-lo e envolva-se com as atividades oferecidas por lá.

2 – Prática, prática e prática

 

Após familiarizar-se com a filosofia budista e começar a frequentar um templo, é chegada a hora de começar a colocar os aprendizados em prática. Faça isso o mais rápido possível! Como? Meditando! A prática com a evolução do conhecimento sobre o budismo vão levar a sua meditação a ser cada vez mais profunda e eficiente.

 

O importante é nutrir uma sede por evolução espiritual. A sua vida, mesmo sendo um monge, nunca estará totalmente livre de sofrimentos e preocupações. Acredite! Trata-se de um desenvolvimento constante para diminuir as dores proporcionadas pela vida.

 

3- Vivencie a vida de um monge

 

Talvez a parte mais difícil de se tornar um monge para muitas pessoas seja abrir mão do trabalho, da família, da casa, do sexo ou de outras coisas. Então, para evitar frustações, faça um teste! Viva um mês ou dois como se você já fosse um monge. Tente ficar longe daquilo que o budismo não recomendaria para um monge. Após essa experiência, você terá mais certeza sobre a sua intenção.

 

Mas, como fazer isso? Procure templos que aceitem pessoas dispostas a viver lá por períodos curtos. É possível encontrar alguns onde há os chamados retiros espirituais. Esta pode ser uma ótima opção para vivenciar a filosofia de Buda ainda mais intensamente.

 

4 – Tenha um guia espiritual

Um dos primeiros passos para se tornar um monge budista também envolve encontrar um mentor, um líder que já esteja há muito tempo no templo frequentado por você. É ele quem vai te guiar na sua evolução espiritual e te encaminhará. Portanto, essa pessoa será responsável por te instruir e evitar que você cometa erros.

 

Encontre alguém em quem você confie e que não te julgue. Você precisa de um mentor que seja seu amigo! Para achar esse guia, você pode pedir recomendações para as pessoas do templo ou se aproximar de algum dos líderes que conduzem os encontros e cursos dos quais você participa.

 

5 – Esteja financeiramente preparado para imprevistos

 

Não se esqueça desse item! Ele é muito importante! Nos templos, você terá acesso à alimentação e a um quarto. E sim, isso se tornará suficiente para  você, pois aprenderá a viver com pouco. Porém, ter dinheiro guardado é fundamental para emergências, como um tratamento médico. Além disso, pode ser que você decida voltar à “vida normal” e, então, vai precisar de alguma reserva para recomeçar.

 

Você tem alguma dica extra para quem pretende se tornar um monge budista? Conte para gente nos comentários!

About The Author

Formada em desenho de moda e em filosofia, Bruna Filler resolveu largar a vida de empresaria e fazer escolhas que para ela tinham sentido. A primeira delas foi criar esse blog de cultura e viagens, viciada em turismo já visitou mais de 80 países e sonha em ser a primeira brasileira a conhecer o mundo todo. Quando não esta viajando se dedica as artes e a filosofia.

Leave a Reply

Your email address will not be published.