Como a crise afeta o turismo no Brasil ?

A instabilidade econômica vivenciada pelo Brasil em 2014 impactou diversos segmentos da indústria e do comércio. Embora o país esteja se recuperando, os reflexos daquele ano ainda são sentidos. É o caso do turismo, atividade que teve uma retração expressiva entre 2015 e 2017. Para você ter uma noção, um estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostrou que o setor deixou de arrecadar 157 bilhões de reais nesse período.

O Rio de Janeiro, uma das cidades brasileiras com o maior fluxo de atividades turísticas, registrou o fechamento de mais de 40 mil postos de trabalho no setor entre 2016 e 2017. No Brasil todo, esse número chegou a 87 mil só em 2016. O dado é preocupante visto que 8% do emprego formal no país corresponde à área. São quase 3 milhões de pessoas trabalhando com turismo. A CNC também divulgou que cerca de 7 mil hospedagens fecharam as portas entre 2015 e 2017.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também reuniu alguns dados que confirmam o momento de crise do turismo no Brasil. As atividades turísticas no país caíram 5,2% em fevereiro de 2018 em comparação com o mesmo período em 2017.

Queda no turismo na Cidade Maravilhosa

Os grandes eventos esportivos sediados pelo Brasil nos últimos anos acabaram dando um gás nas atividades turísticas do país. Teve mais gente viajando e o setor comemorou os números positivos. O problema é que essa felicidade durou pouco tempo, já que foi uma melhora pontual.

No Rio de Janeiro, por exemplo, as Olimpíadas aqueceram o turismo na cidade. Porém, com o fim do evento, a tendência de queda permaneceu vigorando. Para você ter noção, em 2016, ano das Olímpiadas, 6,5 milhões de dólares do PIB do Rio de Janeiro veio do setor de Viagens e Turismo.

No Rio de Janeiro, em específico, não são só as instabilidades políticas e econômicas têm diminuído o número de pessoas viajando para a cidade maravilhosa. A violência também tem contribuído para isso. A CNC divulgou que o turismo no Rio já deixou de arrecadar 1 bilhão de reais por causa da sensação de insegurança.

A expectativa é de melhora

Em um evento da CNC, uma das chefes do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Angela Baltazar, afirmou que a “América Latina” está em alta, o que pode beneficiar o Brasil. Além disso, o real desvalorizado também é um atrativo para os turistas estrangeiros, pois torna o país mais barato”.

O otimismo presente no setor prevê uma recuperação para os próximos anos. Em 2020, tudo deve voltar ao normal caso a economia do Brasil continue a caminhar no ritmo atual. Quem disse isso? Fabio Bentes, chefe da Divisão Económica da CNC. Enquanto 2020 não chega, “o que podemos constatar a partir do desempenho recente é que a crise ainda não acabou. Ainda existe muito terreno para ser recuperado após a fortíssima queda [da atividade] dos últimos anos”, afirmou Bentes durante o evento.

Mais turistas estrangeiros no Brasil

O que tem alimentado o otimismo em relação à situação do turismo no país? Bem, além de o Brasil estar se recuperando da crise financeira, a Embratur tem desenvolvido algumas campanhas no exterior para atrair um maior número de estrangeiros turistando por aqui. Como divulgado em nota oficial pela Embratur, o presidente do órgão, Vinicius Lummertz, afirmou no final de 2017 estar “investindo nos mercados vizinhos, que são os maiores emissores. O câmbio, atualmente, está favorável para os argentinos, paraguaios, uruguaios e chilenos, por exemplo, há maior oferta de voos internacionais para o Brasil, e nossa rede hoteleira também cresceu para atender esta demanda”.

De fato, existe uma melhora em relação a entrada de turistas internacionais por aqui. O otimismo no setor do turismo no Brasil também é resultado da pequena alta no número de estrangeiros visitando o país. De acordo com o Ministério do Turismo, em 2017 houve um aumento de 0,6% nessa quantidade em relação a 2016. No total, mais de 6 milhões de turistas gringos aterrissaram no Brasil, um número maior do que o registrado no ano das Olímpiadas e no da Copa do Mundo.

E de onde vem esse pessoal? A maior parte, quase 40% dos estrangeiros que visitam o Brasil, é proveniente do nosso país vizinho, a Argentina. Na sequência, o maior fluxo de viajantes vem dos Estados Unidos e, em terceiro lugar, do Chile. Ah, esses dados são referentes a 2017 e também foram divulgados pelo Ministério do Turismo.

E como vai o turismo no resto do mundo?

Muito bem! Obrigado! Depois da crise econômica que afetou boa parte do mundo, a coisa para estar melhorando. A Organização Mundial do Turismo (OMT) registrou um aumento expressivo no turismo global em 2017. Foram 1.322 bilhão de pessoas cruzando fronteiras para lazer, número 7% maior que o de 2016.

Esse boom é sinal da recuperação econômica mundial e do aumento da despesa turística em países emergentes, como a Rússia e o próprio Brasil. Além disso, a expectativa para o fechamento de 2018 também é positiva. A OMT espera que o aumento no turismo global continue crescendo constantemente. Para 2018, o fluxo de turistas internacionais desbravando o mundo deve ser até 5% superior à quantidade registrada em 2017.

Agora que você sabe que os impactos da crise no turismo no Brasil está diminuindo, conte nos comentários qual é o seu próximo destino. Não se esqueça de compartilhar este conteúdo nas redes sociais!

About The Author

Formada em desenho de moda e em filosofia, Bruna Filler resolveu largar a vida de empresaria e fazer escolhas que para ela tinham sentido. A primeira delas foi criar esse blog de cultura e viagens, viciada em turismo já visitou mais de 80 países e sonha em ser a primeira brasileira a conhecer o mundo todo. Quando não esta viajando se dedica as artes e a filosofia.

3 Responses

Leave a Reply

Your email address will not be published.